6 de mar de 2014

♡ Ladrão de Olhos por Jonathan Auxier


Título: 
Ladrão de Olhos
Páginas: 424
Editora: LeYa
Autor(a): Jonathan Auxier

Ladrão de Olhos foi um livro que me surpreendeu. Por ser um infanto-juvenil eu achei que seria apenas "mais uma leitura", daquelas que não acrescentam muita coisa, mas me enganei. O livro condiz com o público, é cheio de fantasia e aventura, porém, além de ser voltado para os mais jovens, ele tem um enredo diferente e interessante, e é também uma história para se viajar, isso faz com que qualquer pessoa, de qualquer idade, possa gostar e aproveitar.
Em certa parte o rumo que o livro toma torna o fim óbvio, mas mesmo assim é gostoso de ler e ver as aventuras se desenrolarem.


Peter Nimble é um menino órfão de 10 anos de idade, quando bebê ele foi encontrado em um cestinho à deriva no mar, os marinheiros que o acharam afirmaram que corvos bicaram seus olhos e por isso o menino é cego. Desprovido da visão, seus outros sentidos se desenvolveram de uma forma que ele se tornou capaz de definir distâncias, ouvir os "menores" sons, e até mesmo descobrir a idade das pessoas, tudo através da audição, olfato e tato. Morador de rua, Peter teve de achar uma forma de sobreviver, e para isso tornou-se ladrão. O menino cometia pequenos furtos, roubando muitas vezes apenas comida e uma pouca quantidade em dinheiro. O desafio que ele mais apreciava eram os cadeados, com suas mãos pequenas e ágeis ele fora sempre capaz de abri-los. Até que um dia Peter conhece sr. Seamus, um completo vigarista que tira proveito do menino e o faz prisioneiro, obrigando-o a roubar (Durante a noite) não somente para si mas para o homem também e deixando-o trancado em um porão durante o dia. A história muda quando Nimble rouba um objeto de um misterioso viajante: Uma caixa que contém três olhos mágicos. Ao experimentar o primeiro par, ele é transportado para uma ilha secreta, e é quando as aventuras começam! 


Todos os personagens eram cativantes, com personalidades muito bem elaboradas. Eu me apaixonei pelo Sr. Tode, um antigo cavaleiro que foi enfeitiçado e convertido a um ser meio gato meio cavalo, ele foi responsável pela maioria das minhas risadas durante a leitura. Outra coisa que eu gostei bastante foi que o autor, Jonathan, não transformou Peter em um herói perfeito, ele como toda criança tinha suas birras e também tinha seus defeitos, isso o tornava um personagem muito mais real.



O livro é narrado em 3ª pessoa, mas mantém o foco sempre em P. Nimble. Ele é também dividido em três partes: Ouro, ônix e esmeralda, que representam os três pares de olhos. Dentro de cada parte há capítulos menores.


O trabalho realizado pela editora LeYa merece destaque. As folhas são acinzentadas e a cada novo capítulo temos ilustrações (lindas). A diagramação está ótima e a capa não fica para trás, amei cada detalhe e tudo isso ajuda na hora da leitura, tornando-a mais agradável e fazendo com que ela flua. 


Onde comprei: Saraiva

G, J.